• Desafios de Cimentação

    abril 30, 2019

    webLoaded = "false" Loadclientside=No

    Desafios de Cimentação

    webLoaded = "false"
    • Já se deparou com aquele caso clínico desafiador que te deixou pensando em diversas alternativas e possibilidades para solucionar?

      Te convido a conferir o passo a passo e resultado final de uma reabilitação desafiadora executada e documentada pelo Prof. Dr. Amilcar Freitas.

      Boa leitura!


    webLoaded = "false"
    • Amilcar Freitas, DDS, MsC, PhD
       

      • Especialista, Mestre e Doutor em Prótese Dentária pela UNESP (Araçatuba - SP);
      • Pós-Doutor em Biomateriais na NYU (New York University – Estados Unidos);
      • Presidente Orientador da LAOERN (Liga Acadêmica de Odontologia Estética do RN);
      • Coordenador do Curso de Especialização em Prótese Dentária da ABO (Natal - RN);
      • Coordenador da Residência Clínica em Restaurações Cerâmicas da ABO (Fortaleza - CE);
      • Diretor Científico da Revista Prosthesis and Esthetics in Science (Editora Plena, PR);
      • Diretor Fundador do Projeto Innovation (Natal - RN);
      • Clínica Particular (Natal - RN)

    webLoaded = "false"
    • O presente Caso Clínico refere-se a um Lutador de MMA (campeão peso galo do UFC) que buscava uma melhora estética do sorriso pois estava constantemente expondo sua imagem nas mais diversas mídias. No entanto, em decorrência da sua atividade esportiva profissional, não estava disposto a realizar tratamentos cirúrgicos e/ou ortodônticos. Além disso, desejava também uma modalidade de tratamento o mais rápida e duradoura possível.

      Prof. Dr. Amilcar Freitas

      Restauração do tipo ‘onlay’ em Resina Nano Cerâmica para CAD/CAD

      • Figura 1 – O paciente apresentava linha do sorriso alta, grande desalinhamento dentário e ausência do elemento dental 14, que estava com um provisório de dente de estoque fixado provisoriamente nos dentes adjacentes.

      • Figura 2 – Na foto intra-oral observa-se uma boa saúde dos tecidos periodontais, porém com desnivelamento dos zênites gengivais. No entanto, o paciente também não aprovou a realização de uma plástica gengival previamente ao início do tratamento restaurador.

      • Figura 3 – No intuito de realizar um ensaio restaurador intra-oral antes que qualquer procedimento invasivo fosse iniciado, realizou-se o mock-up a partir de um enceramento diagnóstico para simular como ficaria estética e funcionalmente o novo sorriso do paciente. Em detalhe, pode-se observar que a porção vestibular incisal do dente 11 está mais vestibularizada e serviu como referência limite para o alinhamento do contorno vestibular do novo sorriso. O mock-up foi realizado com resina bisacrílica Protemp 4, cor A2.

      • Figura 4 – Após a aprovação do mock-up pelo paciente, foram realizados os preparos dentários. Observe que por estar mais vestibularizado no arco, o dente 11 recebeu maior desgaste na face vestibular em relação aos demais dentes. O paciente foi previamente alertado da possibilidade deste desgaste mais acentuada levar a tratamento endodôntico posterior, fato que não ocorreu.

      • Figura 5 – Após finalizados os preparos dentários, o arredondamento dos mesmos foi realizado com discos Sof-Lex™ Pop-On para possibilitar um melhor eixo de inserção das restaurações cerâmicas.

      • Figura 6 – Observe que os desgastes dentários foram realizados de maneira minimamente invasiva e controlados por meio de guias em silicona de adição (Express™ XT, denso) que orientam o profissional a desgastar os dentes de maneira seletiva a partir do enceramento diagnóstico. Assim, onde já existia espaço disponível, pouco ou nenhum desgaste era necessário, e onde não havia espaço suficiente, realizou-se um desgaste planejado para a futura restauração cerâmica.

      • Figura 7 – Após a finalização dos preparos, na mesma sessão clínica, realizou-se a moldagem de trabalho. Para isso, um adequado afastamento gengival é necessário, e neste caso foi utilizada a pasta adstringente de afastamento gengival em associação com um fio retrator fino dentro do sulco. Esta pasta tem ação química e mecânica, sendo para isso necessário injetar essa pasta no interior do sulco gengival, conforme apresentado nesta imagem.

      • Figura 8 – A pasta adstringente de afastamento gengival deve permanecer no interior do sulco gengival por 2 minutos e depois disso é removida com jato ar/água.

      • Figura 9 – Após a remoção da pasta adstringente e deixando o fio retrator no interior do sulco é inserida a silicona de adição fluida (Express™ XT) no sulco e sobre os preparos dentais e dentes adjacentes. Simultaneamente, a silicona densa vai na moldeira para realização da técnica de moldagem de passo único.

      • Figura 10 – Foi realizada a seleção de cor (A1, escala Vita) com o auxílio da fotografia para comunicação da cor do substrato ao ceramista que realizou a confecção das restaurações cerâmicas em laboratório.

      • Figura 11 – Foto do modelo de trabalho troquelizado com 8 restaurações cerâmicas confeccionadoas no laboratório Romanini: 5 laminados cerâmicos de dissilicato de lítio (dentes 12, 21, 22 e 23), 1 coroa total “full veneer” de dissilicato de lítio (dente 11) e 1 ponte fixa (dentes 13, 14 e 15) com infra-estrutura em zircônia e revestimento de dissilicato de lítio.

      • Figura 12 – Vista oclusal das restaurações cerâmicas. Observe que no incisivo central esquerdo (dente 11) foi realizado desgaste apenas na face vestibular, mas como este dente apresentava-se muito vestibularizado, foi realizada a cobertura palatina com cerâmica (conceito de coroa full veneer) para proporcionar conforto ao paciente, sem desalinhamento pela face palatina dos dentes anteriores superiores.

      • Figura 13 – Para a cimentação adesiva dos laminados e coroa cerâmica foi realizado o tratamento da superfície interna das restaurações de dissilicato de lítio com ácido fluorídrico 5% por 20 segundos (A), seguido de lavagem e secagem, e posteriormente aplicado silano + sistema adesivo (Single Bond Universal) (B).

      • Figura 14 - Para a cimentação adesiva da ponte fixa, foi realizado o tratamento da superfície interna da restauração aplicando uma camada fina e uniforme do sistema adesivo Single Bond Universal (A), seguido da aplicação do cimento resinoso dual (B) nos pilares protéticos.

      • Figura 15 – Os dentes preparados foram condicionados com ácido fosfórico 37% por 30 segundos em esmalte e 15 segundos em dentina (A), seguido de lavagem e secagem (B), e posteriormente aplicado o sistema adesivo (Single Bond Universal) (C). Em seguida, foi aplicado o cimento resino na superfície interna das restaurações cerâmicas (D).

      • Figura 16 – O cimento escolhido para fixar tanto as restaurações unitárias como a ponte fixa foi o RelyX™ Ultimate (cor A1). Como neste caso temos dentes com preparos tanto em nível de esmalte como em dentina, optamos por um cimento com ótima adesão nos dois tipos de substrato, especialmente quando usado em conjunto com o Single Bond Universal. Além disso, proporciona uma excelente integridade marginal com elevada estética (fluorescência e estabilidade de cor).

      • Figura 17 – Imagens ilustrativas comparando o sorriso do paciente antes (A, B) e depois (C, D), imediatamente após a cimentação adesiva.

      • Figura 18 – Sorriso frontal num controle de 1 ano após a cimentação. Observar a lisura superficial e estabilidade de cor mantidas, que associadas a uma ótima integração com os tecidos gengivais, permite um resultado estético bastante favorável a longo prazo.

      • Figura 19 – Vista lateral direita do sorriso no controle de 1 ano.

      • Figura 20 - Vista lateral esquerda do sorriso no controle de 1 ano.


    Conheça mais sobre nossos produtos.

    webLoaded = "false"

    Espero que tenham gostado. Aguardem nossa próxima edição!

    • Claudia Almeida - Serviços Profissionais 3M Oral Care