test

  • Segurança no trabalho: investimento ou despesa?

    janeiro 08, 2018

    Infelizmente, muitas empresas ainda enxergam a segurança como uma despesa, um gasto obrigatório por lei, e buscam sempre os menores custos em qualquer equipamento ou treinamento. Será que esse é o melhor caminho? Será que equipamentos e cursos de qualidade reconhecida não poderiam ajudar a empresa financeiramente, além da evidente melhoria na situação de risco do trabalhador?

    Sabemos que o mais importante é salvar vidas. No entanto, olhando também pelo lado financeiro, veja agora alguns motivos para a segurança no trabalho ser vista como um investimento, e não uma despesa.

    Menos acidentes
    O principal objetivo de investir em segurança no trabalho é eliminar os acidentes. Considerando apenas a parte material, um acidente significa máquinas paradas ou danificadas, tempo de inatividade, linha de produção ou atividades interrompidas, e perda imediata de lucratividade. E isso pode levar algum tempo até voltar ao normal. Investindo em equipamentos e treinamentos melhores, e consequentemente reduzindo o número de acidentes, a empresa consegue evitar todos esses problemas.

     

    Economia com remanejamento de equipes
    Reduzindo os acidentes, a empresa não precisará fazer remanejamentos de equipes internas, onde se perde tempo e dinheiro, além de gastar menos com ações judiciais e aposentadorias precoces.

     

    Redução de custos
    Muita gente não acredita, mas quando feito da forma correta, o investimento em segurança pode gerar redução de custos. Mesmo parecendo elevado no começo, esse investimento certamente trará resultados em médio e longo prazo. Os motivos principais para isso: com o tempo a empresa passa a perder menos dinheiro com licenças médicas e indenizações por acidentes que poderiam ter sido prevenidos, e o menor número de interrupções e tempos de parada.

     

    Maior produtividade
    Com mais segurança, a linha de produção opera em capacidade total e todas as atividades terminam nos prazos definidos. A produtividade também está diretamente ligada à maior disponibilidade dos funcionários, que passam a sofrer menos com acidentes, faltas e licenças – eliminando também a necessidade de contratações adicionais, temporárias ou permanentes.

     

    Equipe motivada
    A preocupação com o bem-estar dos funcionários só traz benefícios para qualquer empresa; numa época em que é imprescindível ter responsabilidade social, as boas práticas em segurança criam uma cultura positiva dentro e fora da empresa, com ganhos incalculáveis de imagem corporativa. E essa visão continua gerando resultados (e o respeito da sociedade e dos próprios profissionais) naturalmente ao longo do tempo.

     

    Responsabilidade social e imagem corporativa
    Muita gente não acredita, mas quando feito da forma correta, o investimento em segurança pode gerar redução de custos. Mesmo parecendo elevado no começo, esse investimento certamente trará resultados em médio e longo prazo. Os motivos principais para isso: com o tempo a empresa passa a perder menos dinheiro com licenças médicas e indenizações por acidentes que poderiam ter sido prevenidos, e o menor número de interrupções e tempos de parada.

     

    Fiscalização
    Como a segurança do trabalho é uma obrigação prevista em lei, a empresa que cumpre as normas e busca a excelência nas práticas e equipamentos terá chances muito menores de sofrer com multas e penalizações legais, além de evitar a paralização de suas atividades e ter seu nome envolvido em notícias negativas.

     

    Retorno (também) financeiro
    Analisando os pontos acima, fica claro que a segurança no trabalho é um investimento extremamente importante não só por salvar vidas, mas também pelo lado financeiro. Ao cuidar da segurança dos trabalhadores e evitar acidentes, seu retorno pode ser de curto, médio e longo prazo, e em alguns quesitos os benefícios continuados chegam a ser incalculáveis.

     

    Vale ressaltar que, naturalmente, o maior objetivo da segurança no trabalho é eliminar o número de seres humanos acidentados. Por mais que pareça clichê, a vida é nosso bem mais precioso. E se cuidar dela não precisa ser visto como um gasto, melhor ainda.