test

  • Como incentivar o uso de EPIs e se adequar às normas de segurança

    janeiro 08, 2018

    Os Equipamentos de Proteção Individual, geralmente chamados de EPIs, são essenciais para uma boa gestão da segurança no trabalho. É evidente que, sem eles, os trabalhadores estão correndo riscos absolutamente desnecessários. Mas muita gente ainda os encara como uma obrigação, ou até um sacrifício.

    Usar os EPIs é um direito do trabalhador, previsto na CLT – algo conquistado após décadas sofrendo com acidentes no ambiente de trabalho, e que não deveria ser visto como um dever. Infelizmente, ainda é comum percebermos o contrário. E o mesmo ocorre com as normas regulamentadoras de segurança, que precisam ser obedecidas pelas empresas e muitos funcionários teimam em não colaborar. Como fazer para reverter esse quadro, e incentivar o uso dos EPIs de forma natural, e até positiva? Veja agora algumas ideias que podem ajudar.

    Segurança pela segurança
    É preciso mudar a cultura das pessoas, e aplicar as normas básicas de segurança em nosso dia a dia – na empresa e fora dela. Isso significa transformar a preocupação com segurança em algo orgânico, numa prioridade em todos os momentos – e não só quando há algum supervisor de olho. Isso é a cultura da segurança pela segurança, e não pela simples conformidade. É ter uma preocupação legítima e constante com o seu bem-estar e o das pessoas ao seu redor. É uma preocupação com a vida, simples assim.

     

    Liderando pelo exemplo
    Os líderes da organização precisam atentar para as normas e o uso de equipamentos. Participando ativamente da rotina dos trabalhadores e monitorando eventuais inconsistências, o gestor pode mostrar que se preocupa e gerar um sentimento de coletividade.

     

    Qualidade do EPI
    Muitos trabalhadores também alegam não usar os equipamentos por achá-los incômodos. É por isso que é essencial adquirir equipamentos de qualidade, que vistam ou se encaixem bem, para proporcionar conforto e leveza aos usuários. Se o equipamento for confortável, o convencimento certamente ficará mais fácil.

     

    Cultura organizacional
    A cultura da empresa precisa gritar “Segurança!” o tempo todo. Se todos prestarem atenção a normas e equipamentos no dia a dia, essa preocupação se torna mais natural e acaba por virar um hábito.

     

    Bons treinamentos
    A aplicação correta e espontânea das normas de segurança é diretamente afetada pela qualidade dos treinamentos oferecidos aos funcionários. Profissionais capacitados com excelência entendem as regras e o porquê do uso dos equipamentos, e não enxergam tudo isso como obrigações chatas e vazias. E o melhor: eles passam esse conhecimento adiante, contribuindo para o quadro geral!

     

    Prevenir e conscientizar
    - Realize campanhas educativas (e-mails, cartazes, grupos de discussão, etc.)
    - Produza materiais didáticos simples periodicamente
    - Use departamentos e funcionários que fazem bom uso das normas e equipamentos como exemplos
    - Além dos treinamentos, organize palestras e workshops recorrentes sobre o tema, envolvendo diversos departamentos
    - Divulgue internamente números e estatísticas que gerem reflexão sobre segurança
    - Comemore conquistas (como períodos sem acidentes) com prêmios e confraternizações

     

    Faça a sua parte
    Resumindo: as empresas buscam resultados, é claro, mas cuidar da integridade dos funcionários agrega muito mais valor aos seus produtos e serviços. Invista em equipamentos, treinamentos e práticas internas, e aposte em ações de comunicação para gerar uma cultura de segurança duradoura e sustentável. Não é nenhum exagero dizer que você estará salvando vidas.