1. Brasil
  2. 3M Cuidados com a Saúde
  3. Histórias de Cuidados com a Saúde
  4. História Completa
  5. Por quê o aquecimento antes, durante e depois da cirurgia importa
3M Cuidados com a Saúde

 

  • compartilhar

    Por quê o aquecimento antes, durante e depois da cirurgia importa

    março 23, 2021
    compartilhar

    Patient is prepared for surgery with warming gown.

    • "Hipotermia". Normalmente associamos a estar ao ar livre; uma emergência médica reservada para aqueles que procuram aventuras ao ar livre, ou para os trabalhadores da construção civil em climas frios.

      Mas quando se pensa em um centro cirúrgico, o termo hiportermia não é algo que vem à mente.

      E justamente no centro cirúrgico, evitar a hipotermia e manter a normotermia - ou seja, a temperatura ideal do corpo - é realmente importante. Quando os pacientes sofrem de hipotermia durante a cirurgia, o risco de complicações aumenta, incluindo infecções, problemas cardíacos ou hemorragias que podem levar a transfusões de sangue, que poderiam ter sido evitados. De fato, pesquisas têm mostrado que mesmo uma hipotermia leve pode levar a resultados significativamente negativos para os pacientes".

    Thermometer icon on a purple-blue gradient background
    Vamos falar sobre a temperatura central

    • Nossos corpos são projetados para manter uma temperatura interna muito controlada, independentemente da temperatura externa. Esta ação natural é conhecida como "termorregulação", e garante um estado saudável de normotermia.

      A temperatura central é a temperatura do interior do nosso corpo, que inclui o coração, os pulmões, o fígado e o cérebro. A temperatura permanece em sua maioria constante, a uma temperatura muito confortável de 37 graus Celsius, e varia naturalmente em alguns décimos de grau ao longo do dia. A temperatura central nos protege de mais do que apenas sentir frio. Quando ela cai abaixo de 36 graus Celsius, sofremos de hipotermia, e muitos de nossos mecanismos internos de proteção e suporte de vida diminuem, ou simplesmente se desativam.

      Quase todas as proteínas do corpo funcionam muito bem a 37 graus Celsius, diz Al Van Duren, Diretor Global de Assuntos Científicos de aquecimento do paciente da 3M. "Em temperaturas ligeiramente abaixo ou ligeiramente acima de 37 graus Celsius, não funcionam muito bem. As plaquetas começam a perder sua viscosidade, e os linfócitos - as células que cuidam da imunidade em nosso corpo - param de funcionar bem quando nossa temperatura cai, mesmo que seja pouco.” Como as plaquetas ajudam a coagular o sangue, a possibilidade de sangramento é um problema real quando os pacientes sofrem de hipotermia durante a cirurgia, explica Al. E como nossas células imunes diminuem, o risco de contrair uma infecção no local da cirurgia aumenta. Estes são dois exemplos chave de uma série de consequências graves que podem acontecer quando nossa temperatura central cai durante a cirurgia.

    Question mark icon on a purple-blue gradient background
    Por quê a anestesia geral é uma das causas?

    • Procedimentos médicos que salvam vidas, tais como cirurgia cardíaca aberta, cirurgia cerebral ou transplantes de órgãos, não seriam possíveis sem anestesia geral. Ela é usada quando for importante que o paciente não esteja consciente, pois nos impede de sentir dor. A anestesia tornou possível um enorme número de procedimentos médicos que melhoram a saúde humana, a longevidade e a qualidade de vida. E embora estes medicamentos sejam bastante seguros para a maioria dos pacientes, eles afetam uma coisa em nosso corpo: nossa capacidade de regular nossa temperatura central.

      Dois tipos de medicamentos anestésicos são usados - os que são inalados e os que são administrados por infusão intravenosa. Um efeito colateral importante de ambos tipos de medicamentos é que eles podem causar redistribuição de calor do centro para a periferia do nosso corpo.

      As pessoas começam a ter hipotermia não porque perdem calor durante a cirurgia", explica Al. "Elas têm hipotermia basicamente porque o calor corporal é redistribuído do centro do corpo para os braços e pernas. A temperatura média do corpo não muda em nada, mas a temperatura central muda muito. Isto se deve apenas aos medicamentos que são usados para anestesia."

    Light bulb icon on a purple-blue gradient background
    A boa notícia?

    • A hipotermia durante a cirurgia pode ser evitada.

      Manter uma temperatura central ideal constante (normotermia) nos pacientes têm sido um método chave para combater os resultados negativos da hipotermia, incluindo infecções de sítio cirúrgico, sangramento e problemas cardíacos. Diversos estudos apontam que o aquecimento por ar forçado é um método eficaz para prevenir e tratar a hipotermia não intencional. Na verdade, os benefícios clínicos, segurança e eficácia do aquecimento por ar forçado estão evidenciados em mais de 170 estudos, e mais de 60 ensaios clínicos randomizados controlados.

    Patient is prepared for surgery with warming gown.
    O que é aquecimento por ar forçado?

    • 3M Bair Hugger Therapy Multi Acess Blanket Model 315

      O aquecimento por ar forçado se distribui normalmente, através de uma manta especial ou um avental que se coloca sobre ou por baixo do paciente durante o procedimento cirúrgico. Mediante o uso das propiedades de convecção e radiação, o ar quente é disseminado através de microperfurações, distribuídas uniformemente em um material macio, transferindo, assim, o calor ao longo da superfície da pele do paciente.

      Após o paciente ter sido pré-aquecido, ou seja, aquecido antes da anestesia, são tomadas medidas de aquecimento intraoperatórias, que diminuem a quantidade de perda de calor que ocorre durante a cirurgia, e que ajudam a manter a temperatura central. Durante o período pós-operatório, o aquecimento por ar forçado normalmente é usado para restaurar o conforto térmico do paciente. O pré-aquecimento é frequentemente negligenciado, mas é um passo importante no combate à hipotermia inadvertida, diz Al.

      "Antes de ocorrer a redistribuição causada pela anestesia, a temperatura da pele é baixa, portanto é mais fácil transferir calor para o paciente", diz Al. "Encorajamos os profissionais de saúde a pré-aquecerem os pacientes enquanto ainda estão acordados. Dessa forma, quando eles são anestesiados e ocorre a redistribuição; os pacientes já estão aquecidos, de modo que sua temperatura central não cai muito".

    Flowers in a vase icon on a purple-blue gradient background
    Conforto do paciente

    • 3M Bair Hugger Therapy Preoperative Blanket Model 110

      "Um estudo evidenciou que um curto e intenso período de aquecimento é muito eficaz - tão pouco quanto 10 minutos pode ser suficiente". Do ponto de vista do paciente, a fase de aquecimento pode ser um pouco desconfortável, pois o calor é adicionado quando seus corpos já estão normotérmicos. É por isso que tudo o que é necessário é simplesmente um período curto e intenso.

      Entretanto, o que os pacientes parecem realmente se lembrar sobre sua cirurgia, em termos de conforto, é o frio que sentem depois. Quando acordam da cirurgia, a maioria dos pacientes espera sentir dor, mas muitos não esperam sentir esse frio.

      "Parece que o conforto térmico é o que os pacientes se lembram no pós-operatório, mesmo anos após a cirurgia", diz ele. "O conforto térmico é um resultado realmente importante para os pacientes, e com razão - não se sente bem tremer de frio. Mas o que muitas vezes passa despercebido, é que ter mantido a normotermia durante a cirurgia impediu resultados realmente sérios que eles nem sequer conheciam, como infecção e hemorragia".

      A hipotermia pode ser facilmente evitada durante todo o procedimento cirúrgico. E manter os pacientes aquecidos durante a cirurgia pode reduzir o risco de infecção, reduzir o tempo de internação hospitalar e melhorar o desfecho cirúrgico.